1/3

Grupo Toyota lidera vendas globais de automóveis em 2020 pela 1ª vez em 5 anos


JAPÃO - O grupo Toyota Motor Corp. ficou em primeiro lugar nas vendas globais de automóveis em 2020, pela primeira vez em cinco anos, com uma forte aceleração nas vendas na China e nos Estados Unidos, ultrapassando a Volkswagen AG da Alemanha, mostraram dados na quinta-feira.


A Toyota disse que vendeu 9,53 milhões de veículos globalmente no ano passado, incluindo os vendidos pela fabricante de miniveculos Daihatsu Motor Co. e pela fabricante de caminhões Hino Motors Ltd., 11,3% a menos que no ano anterior.


A gigante automobilística japonesa, no entanto, sofreu menos impacto com a pandemia do coronavírus do que outras montadoras.


As vendas anuais globais da Toyota registraram seu primeiro declínio em cinco anos, depois de cair drasticamente no trimestre de abril a junho devido às consequências econômicas mundiais da pandemia.


No entanto, as vendas se recuperaram em seus principais mercados, como China e Estados Unidos, após a queda, registrando três meses consecutivos de aumento a partir de outubro, disse a Toyota.


Um representante da Toyota disse que a estratégia de vendas agressiva da empresa, que levou ao lançamento de uma série de novos modelos, contribuiu para vendas relativamente sólidas em 2020 em comparação com outras montadoras.


"Nossas vendas caíram em relação ao ano anterior em meio à pandemia, mas o declínio foi limitado a cerca de 10 por cento", disse o funcionário.


Em 2020, o grupo Toyota vendeu 2,16 milhões de veículos incluindo minicarros no Japão e 7,37 milhões em mercados internacionais, enquanto produzia um total de 9,21 milhões de unidades em todo o mundo, queda de 14,1% em relação ao ano anterior.


Só a Toyota vendeu 8,69 milhões de carros, queda de 10,5%, enquanto a produção diminuiu 12,6%, para 7,91 milhões de veículos.


Enquanto isso, as vendas globais da Volkswagen no ano passado caíram 15,2%, para 9,31 milhões de veículos.


As vendas totais da aliança de três vias da Nissan Motor Co., Renault SA e Mitsubishi Motors Corp. situaram-se em 7,8 milhões de veículos, queda de 23,2 por cento, devido à recuperação mais lenta das vendas em seus principais mercados automotivos, incluindo Estados Unidos e Europa.


As vendas da Nissan despencaram 22,2%, para 4,03 milhões de veículos, depois que ela abandonou a estratégia de produção expansionista do ex-presidente Carlos Ghosn.


As vendas da Renault caíram 21,3%, para 2,95 milhões de unidades, enquanto a Mitsubishi registrou uma queda de 33,1%, para 819.904 veículos.


As vendas combinadas de automóveis das oito principais montadoras do Japão despencaram 15,9%, para 23,49 milhões de veículos, com todas as montadoras registrando quedas em meio à pandemia.