1/3

Hanyu Yuzuru: Em busca do Quad Axel perfeito em Pequim


CHINA - Para Hanyu Yuzuru, o objetivo nos Jogos de Pequim será fazer o "quad axel", o salto mais difícil da Patinação Artística, sob as luzes chinesas.


Hanyu está tentando se tornar apenas o segundo a ganhar três medalhas de ouro consecutivas na patinação artística masculina, juntando-se ao sueco Gillis Grafstrom, nos primórdios das edições invernais dos jogos. Esse esforço agora está inextricavelmente ligado ao salto que a estrela japonesa sonhava desde a infância.


O nipo-patinador tentou um no início de sua apresentação no campeonato nacional do Japão em dezembro. A grande multidão na Super Arena de Saitama prendeu a respiração quando Hanyu olhou para trás antes de se virar para frente e pular.


Embora tenha ficado aquém das quatro rotações e meia completas, Hanyu pousou suavemente e expressou satisfação com o salto que pretende dominar desde logo após as Olimpíadas de Pyeongchang de 2018.


"Para mim, neste momento, posso aceitar (positivamente) administrar tanto", disse Hanyu.


Seu técnico canadense, Brian Orser, disse que a busca para dominar o quad axel era um ajuste natural para uma personalidade como Hanyu, que precisava de um novo desafio depois de ganhar duas medalhas de ouro olímpicas e dois títulos mundiais.


Hanyu, cujo eixo triplo é considerado o mais bonito do mundo, disse não estar preparado para a enormidade do desafio.


"Eu tinha confiança em meus axels. Eu não sabia que quad axel seria tão difícil", disse Hanyu, que inicialmente se imaginou dominando o salto na temporada 2018-2019.


Quando ele se concentrou na altura necessária para quatro rotações e meia, o corpo de Hanyu se recusou a girar o suficiente. Concentrar-se demais na rotação, no entanto, o impediu de atingir a altura necessária.


Hanyu aumentou a força na última temporada, mas o peso muscular extra resultou em aterrissagens instáveis. Então, nesta temporada, ele perdeu três quilos para estabilizar seu eixo de rotação.


À medida que a tentativa e erro continuava além de mil tentativas malsucedidas e com risco de lesões, a ideia de que o salto é uma fantasia da qual ele deveria desistir penetrou nos pensamentos de Hanyu, especialmente quando ele treinou sozinho quando as restrições da pandemia o impediram de se juntar a Orser em sua base de treinamento regular no Canadá.