TSJ MN_edited.png

1/3

Hayashi visita o Camboja em busca de estreitar laços de segurança com o país


CAMBOJA - Os ministros das Relações Exteriores do Japão e do Camboja entraram em acordo no intuito de reforçar a cooperação em segurança em meio à crescente influência de Pequim na região do Indo-Pacífico.


O ministro das Relações Exteriores, Yoshimasa Hayashi, disse em uma reunião com seu homólogo cambojano Prak Sokhonn em Phnom Penh que o Japão pretende fazer visitas regulares à Base Naval de Ream no Golfo da Tailândia, perto do Mar do Sul da China. O porto foi modernizado com ajuda financeira chinesa.


Sokhonn, que é vice premiê, disse que quer promover a cooperação bilateral de defesa com o Japão, incluindo visitas da SDF Marítima após uma chamada portuária no vilarejo de Shihanouk por navios em março.


O Camboja, conhecido por ter laços amigáveis com a China, planeja hospedar a marinha chinesa na base de Ream em troca do apoio de Pequim à recente construção e modernização de estruturas, incluindo um deslizamento de estiagem e um píer, de acordo com um relatório da mídia dos EUA, embora a nação do Sudeste Asiático tenha negado.


Hayashi prometeu o apoio contínuo do Japão para melhorar o funcionamento de Shihanouk, um porto comercial com os berços mais profundos do país localizado perto da base naval.


No mesmo dia, Hayashi também realizou reuniões com seus homólogos do Sri Lanka e vietnamita Ali Sabry e Bui Thanh Son.


Hayashi e Sabry discutiram as crises políticas e econômicas em curso no país do sul da Ásia, disse o Ministério das Relações Exteriores japonês.


As negociações vieram depois que o novo presidente do Sri Lanka, Ranil Wickremesinghe, seis vezes primeiro-ministro, no mês passado sucedeu Gotabaya Rajapaksa, que deixou e fugiu do país depois que manifestantes invadiram sua residência oficial e edifícios-chave do governo.


As reuniões bilaterais foram realizadas à margem de uma série de reuniões ministeriais estrangeiras relacionadas à Associação das Nações do Sudeste Asiático de quarta a sexta-feira na capital cambojana. O Sri Lanka faz parte do Fórum Regional da ASEAN, com 27 membros, cujas conversações ministeriais estão marcadas para sexta-feira.