1/3

Japão cai para 10º lugar no ranking de jornais altamente citados


JAPÃO - O Japão caiu uma posição para um décimo recorde em um ranking de artigos científicos altamente citados entre 2017 e 2019, com a China liderando a lista global pela primeira vez ao ultrapassar os Estados Unidos, de acordo com um relatório do instituto governamental.


Pesquisadores japoneses publicaram em média 3787 artigos altamente citados por ano no período de três anos, mas foram ultrapassados ​​pela Índia, que ficou em nono lugar com 4.082 artigos, disse o Instituto Nacional de Política de Ciência e Tecnologia na terça-feira. O ranking anterior abrangia o período de 2016 a 2018.


A China liderou a última classificação com 40.219 artigos, seguida pelos Estados Unidos com 37.124 e Grã-Bretanha com 8687, de acordo com o relatório Science and Technology Indicators 2021. Entre 1997 e 1999, o Japão ficou em quarto lugar, com 4336 artigos.


Os artigos japoneses foram mais citados nas áreas de física, medicina clínica e química, de acordo com o relatório.


Os artigos americanos eram fortes nos setores de medicina clínica, ciências biológicas básicas e física, enquanto os artigos chineses eram mais citados nas áreas de ciência de materiais, química, engenharia, bem como ciência da computação e matemática.


Artigos escritos por pesquisadores de vários países foram alocados às nações com base nas contribuições dos autores.


O declínio do Japão nas classificações nos últimos anos reflete o crescimento estagnado no número de pesquisadores, com o número anual de recém-formados em doutorado caindo desde 2006 para cerca de 15.000.


Os Estados Unidos e a China, por sua vez, têm visto aumentos constantes no número anual de novos titulares de doutorado, totalizando cerca de 90.000 e cerca de 60.000, respectivamente, de acordo com os últimos dados coletados pelo instituto.


Os analistas também atribuem a baixa posição do Japão no ranking à falta de financiamento para pesquisadores em muitas universidades.