1/3

Japão, EUA e Europa concordam em cooperar sobre situação do Afeganistão


JAPÃO - Chanceleres do Japão, dos Estados Unidos, da Europa e de outros lugares na quarta-feira concordaram em trabalhar juntos para lidar com a situação no Afeganistão, enquanto buscam garantir partidas seguras para aqueles que fogem do país controlado pelo Taleban, disse o governo japonês.


Com a crescente preocupação de que a incerteza e a insegurança possam levar a uma crise humanitária no Afeganistão, o ministro das Relações Exteriores japonês, Toshimitsu Motegi, prometeu durante a reunião online fornecer $ 65 milhões em ajuda fresca por meio de organizações internacionais para ajudar os locais com abrigo, comida, água e outras necessidades.


A reunião, organizada pelo secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, e pelo ministro das Relações Exteriores da Alemanha, Heiko Maas, contou com a participação de participantes de um total de 22 países, disse o Ministério das Relações Exteriores japonês em um comunicado à imprensa.


Motegi havia dito anteriormente que esperava-se que a reunião tivesse a companhia da China e da Rússia. Mas os dois países não foram mencionados no comunicado.


Blinken sediou o encontro na Alemanha, na segunda etapa de uma viagem que também o levou ao Catar, após a retirada das tropas americanas do Afeganistão no final do mês passado. A retirada marcou o fim da guerra de duas décadas desencadeada pelos ataques terroristas de 11 de setembro de 2001 em solo americano.


Mas uma tomada inesperadamente rápida do Afeganistão pelo Taleban, um grupo islâmico, durante a retirada das forças armadas dos EUA levou a um processo caótico de evacuação do aeroporto internacional de Cabul, já que muitos afegãos que trabalharam com os Estados Unidos correram para fugir do país, temendo por seus vive sob os novos governantes.


Os Estados Unidos ajudaram na evacuação de cerca de 125.000 pessoas do Afeganistão, incluindo 6.000 cidadãos americanos, de acordo com Blinken. O presidente Joe Biden prometeu continuar a trabalhar com outros países para garantir a passagem segura de americanos, afegãos e estrangeiros que desejam deixar o país.


Blinken disse no início da reunião ministerial que o Taleban, incluindo o recém-anunciado governo provisório e qualquer eventual governo afegão, deve manter o compromisso de permitir que estrangeiros, portadores de visto e afegãos viajem para fora do país, se assim o desejarem.