top of page
1665608300863 (1).png
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube

Kishida lança pacote econômico para enfrentar crise de custo de vida

JAPÃO - O primeiro-ministro disse que o novo pacote econômico de seu governo buscará navegar a economia através de uma crise de custo de vida para alcançar crescimento de longo prazo, como parte de seus planos de redistribuir a riqueza no Japão com aumentos salariais e outras medidas semelhantes.


O pacote, que também visa abordar desafios demográficos e impulsionar o setor de chips, será compilado em outubro, e um orçamento suplementar será formado para financiá-lo. Kishida disse que instruirá formalmente seus ministros a intensificar o trabalho na elaboração das medidas na terça-feira.


O pacote tem cinco pilares: aliviar o impacto da inflação nas famílias, estimular o crescimento salarial, aumentar o investimento, abordar os desafios impostos pelo declínio da população do país e garantir a segurança do povo japonês.


"As pessoas estão lutando para lidar com o aumento dos preços. O consumo privado e os gastos de capital carecem de força e permanecem instáveis", disse Kishida aos repórteres ao anunciar o esboço. "Vamos implementar medidas econômicas para distribuir adequadamente os frutos do crescimento para o povo japonês", acrescentou.


O montante total a ser gasto no pacote ainda não foi definido, mas o governo enfrenta a difícil tarefa de sinalizar uma ruptura com um período de medidas de gastos em "modo de crise" para lidar com a pandemia de COVID-19 e a guerra da Rússia na Ucrânia.


Embora a inflação tenha mantido um ritmo muito mais lento no Japão em comparação com os Estados Unidos e a Europa, o país pobre em recursos naturais também viu um aumento devido principalmente aos preços mais altos de energia e matérias-primas importadas.


O governo manterá subsídios para reduzir os custos de combustível, já que os preços de energia em alta, inflados por um iene mais fraco, prejudicaram o consumo doméstico.


O pacote também buscará apoiar a reciclagem de trabalhadores e incentivar pequenas e médias empresas a aumentar os salários de seus funcionários, com Kishida estabelecendo como objetivo promover uma redistribuição maior da riqueza, descrevendo sua abordagem como "uma nova forma de capitalismo".


Após a pandemia de COVID-19 ter exposto a vulnerabilidade de se depender excessivamente da China para componentes críticos, como semicondutores, o Japão busca reformar sua outrora competitiva indústria de chips e proteger sua segurança econômica.


Segundo as novas medidas, o governo incluirá etapas para incentivar o investimento em setores estratégicos, afirmou Kishida.


Hiroshige Seko, secretário-geral do Partido Liberal Democrata no Senado, tem defendido um pacote entre 15 a 20 trilhões de ienes. Ele tem sido um defensor de estímulos fiscais e flexibilização monetária sob o programa "Abenomics" liderado pelo ex-primeiro-ministro Shinzo Abe, que buscava impulsionar a economia.


O Banco do Japão manteve sua política de taxas ultrabaixas, divergindo de pares globais como o Federal Reserve dos EUA e o Banco Central Europeu, que aumentaram as taxas de juros para conter a inflação. A recente desvalorização do iene reflete essa divergência de políticas, levando o Japão a enfrentar a inflação causada por custos há mais de um ano.


O governador do Banco do Japão, Kazuo Ueda, reiterou que a flexibilização monetária é necessária porque o Japão está em uma "junta crítica" para alcançar um ciclo virtuoso de aumentos de salários e preços.


Questionado sobre a necessidade de conter a queda do iene, Kishida disse na segunda-feira que a volatilidade excessiva é indesejável e que os movimentos cambiais devem refletir os fundamentos econômicos. "Continuaremos a monitorar de perto o desenvolvimento do mercado de câmbio com um sentido aguçado de urgência", afirmou, em meio à cautela do mercado sobre outra rodada de intervenção das autoridades japonesas, com compra de ienes e venda de dólares.

Posts recentes

Ver tudo

Comments


© TSJ 2024. Todos os direitos reservados

bottom of page