TSJ MN_edited.png

1/3

Norte-coreano recebe dinheiro para fazer aplicativo para empresa japonesa, duas pessoas foram presas


KANAGAWA - Um engenheiro de TI (Tecnologia da Informação) norte-coreano com sede na China recebeu remuneração por desenvolver um aplicativo de smartphone para uma empresa japonesa enquanto usava o nome de um cidadão sul-coreano que vive no Japão.


O homem de 57 anos da Coreia do Sul, que permitiu que o engenheiro de TI usasse seu nome, e uma parente do engenheiro de 75, que atuava como intermediário para a transferência de fundos, foram encaminhados para a delegacia sob suspeita de violar a lei bancária japonesa.


Os EUA e outros governos alertaram que a Coreia do Norte estaria ganhando moeda estrangeira ao fazer com que sua equipe trabalhe no exterior. A polícia japonesa disse que investigará a possibilidade de o engenheiro ter enviado alguns fundos de volta para a Coreia do Norte.


O sul-coreano, morador de Yokohama, é suspeito de deduzir uma taxa de quase 2 milhões de ienes paga pela empresa japonesa pelo aplicativo e transferir o restante para uma conta bancária do parente feminino em junho de 2019.


O engenheiro de TI foi então capaz de retirar os fundos em yuan chinês usando um cartão de débito conectado à conta.


A parente, que reside em Tóquio, é suspeita de ser cúmplice do crime emprestando seu cartão ao engenheiro de TI. Em interrogatório, ambos admitiram as acusações.


O norte-coreano usou o nome do homem sul-coreano para se registrar em um serviço japonês que combina clientes com freelancers, desenvolvendo vários aplicativos até junho de 2019, disse a polícia.


O homem sul-coreano afirma que conheceu o engenheiro de TI enquanto visitava a capital norte-coreana Pyongyang a negócios, disseram eles.