1650382760548_edited.png

JORNALISMO SIMPLES E DIRETO | O dia a dia do Japão

Radio Mirai (Branco).png
1650382760548.png

1/3

Okinawa decide a favor de Denny Tamaki que permanecerá no poder por mais quatro anos


OKINAWA - O candidato à reeleição, Denny Tamaki, conseguiu vencer sua segunda eleição consecutiva e mantém o cargo de governador de Okinawa por mais quatro anos.


Entre suas propostas, está um esforço para interromper um plano de realocação da base americana de Ginowan para Henoko.


Apoiado pela oposição, derrotou o ex-prefeito de Ginowan, Atsushi Sakima, que foi apoiado pela coalizão governista. O candidato derrotado tinha planos contrário ao que o então governador pensava, em fazer a rápida realocação da base.


Reviver a importante indústria do turismo também foi o foco da eleição, com a economia okinawana tendo tomado uma forte surra das restrições de viagem colocadas em prática durante a pandemia.


"As pessoas em Okinawa não desistiram de seus desejos (de parar o plano) nem um pouco", disse Tamaki a repórteres, acrescentando que pedirá ao governo central que suspenda a realocação. O candidato reeleito foi apoiado pelo PDCJ e vários partidos menores da oposição.


Okinawa ainda abriga a maior parte das bases dos EUA no país, mais de 50 anos depois de ter sido devolvida de fato ao Japão em 1972 no pós-guerra.


O governo japonês coloca importância estratégica em Okinawa devido à sua proximidade com potenciais pontos de inflamação geopolítica, como Taiwan, que tem sido pressionado cada vez mais por uma China mais agressiva.


O último veredicto sobre o plano vem depois que a prefeitura rejeitou a transferência nas eleições para governador em 2014 e 2018, bem como um referendo em 2019.


Entre os 1,16 milhões de eleitores da ilha, houve uma participação de 57,92%, uma queda de 5,32 pontos percentuais em termos de eleição para governador anterior, de acordo com o conselho eleitoral local.


Embora a eleição tenha sido uma corrida a três também envolvendo o ex-membro da câmara baixa, Mikio Shimoji, tornou-se efetivamente uma reprise da eleição de 2018 na qual Tamaki derrotou Sakima.


"Eu disse ao povo okinawana que não há escolha a não ser aceitar a realocação, mas isso não ganhou apoio", disse o candidato derrotado a repórteres.


Tamaki exigiu que a base fosse movida para fora da prefeitura ou do país inteiramente, e sua vitória significa que a batalha legal sobre o plano de transferência entre os governos central e Okinawa só se intensificará.


O governo Kishida e a administração dos EUA mantêm o plano atual, acordado pela primeira vez entre os dois países em 1996, é a única solução que garante tanto a dissuasão sob a aliança bilateral de segurança de longa data quanto a remoção dos perigos colocados pela base.


O chefe eleitoral do PLD, Hiroshi Moriyama, disse a repórteres que o plano de realocar a base para Henoko está definido em pedra, acrescentando: "Vamos nos esforçar para obter a compreensão do povo de Okinawa".


Na eleição para prefeito de Ginowan realizada no mesmo dia, a coalizão governista apoiou Masanori Matsugawa, que apoia a realocação da base para Henoko, derrotando Harumasa Nakanishi, um líder da federação de associações de pais e professores da prefeitura, que se opõe ao plano de realocação.