top of page
1665608300863 (1).png
  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube

Tribunal rejeita demanda de Ainus por direito exclusivo da pesca de salmão

O Tribunal Distrital de Sapporo rejeitou uma demanda de um grupo de indígenas nortistas, os Ainus, para serem reconhecidos como isentos de uma proibição de pesca comercial de salmão em um rio, argumentando que haviam herdado esse direito de seus ancestrais.


O tribunal decidiu que o rio é propriedade pública e que não admite os direitos de qualquer grupo específico de pessoas para pescar ali exclusivamente. A Nação Raporo Ainu, que inclui descendentes de comunidades Ainu que começaram a residir em torno do rio em Urahoro, Hokkaido, séculos atrás, provavelmente vai recorrer da decisão.


Essa foi a primeira vez que os Ainu buscaram o reconhecimento de seus direitos indígenas tanto do governo central quanto do governo nortista. A pesca de salmão em rios é ilegal sob a lei de proteção dos recursos pesqueiros e os regulamentos de pesca em águas interiores de Hokkaido.


Os Ainu que vivem no interior só podem pescar salmão para praticar tradições culturais e não por motivos econômicos.


Durante o julgamento, os autores afirmaram que haviam herdado os direitos de pesca de salmão de seus antepassados, cuja subsistência dependia da pesca de salmão até que foi proibida sob uma política de assimilação durante a Era Meiji, de 1868 a 1912.


O juiz Takuro Nakano reconheceu que os Ainu têm pescado salmão continuamente na área desde o século XVII, no mínimo, e têm direito de continuar sua própria cultura.



No entanto, ele também afirmou que o argumento dos autores tem "um forte aspecto de direitos de propriedade" e ultrapassa o escopo de preservar e transmitir sua tradição.

Posts recentes

Ver tudo

Comments


© TSJ 2024. Todos os direitos reservados

bottom of page